D I T O | B I A N C H I

''Quem escreve constrói um castelo e quem lê, passa a habitá-lo.''

Luz…
luz que reproduz
palavras pertencentes
ao meu corpo

Palavras…
que frequentemente
são superadas pela imagem

Tocam profundamente
e docemente
o canto mais brio do desconhecido

Sua produção áspera
é lapidada pelos ouvidos
quase inconscientemente

Deliciosamente atrevidas
descrevem trilhas incompletas
divididas em três partes
racional
emocional
religiosa

Uma propositalmente
conecta-se à outra
transparecendo a ideia
de uma mente turbulenta

Dez e meia
café mesclado com torradas
calça jeans, mocassin e camiseta xadrez
4725 ao 5630
passagem pela doca
roupa inteiramente preta
duas da tarde às dez e quarenta da noite
bocejos e fome
695X ao metrô,

pausa para mim
estou em obras
olho ao alto
desligo-me do mundo
estendo as mãos
vibração intensa
os olhos permitem escorrer
aquilo que o coração
não consegue traduzir

Adentro ao santuário
naturalmente,
sem resquícios
que me foram implantados
durante cotidianos,
adentro sereno
praticamente irreconhecível
contemplando a sensação de leveza
que o ambiente fornece.

Eu não vejo
apenas sinto
eu não toco
apenas me integro
eu não cheiro
apenas me envolvo,
um santuário
uma cascata
que blinda meu corpo
dos pés à cabeça
importadas de outro plano,
um plano superior…

(SANTUÁRIO) Dito Bianchi